fbpx

Franciscanos: corte de 30% dos recursos das universidades federais preocupa

 
Em carta assinada pelo frei César Külkamp, ministro provincial, os franciscanos manifestam preocupação com o corte de 30% anunciado pelo governo para as universidades federais. "É evidente que esta ação vai colocar em risco o trabalho de excelência que estas instituições realizam nas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão. Certamente, os efeitos da decisão vão recair sobre importantes projetos de serviços às comunidades, especialmente as mais carentes, vão inviabilizar a continuidade de fundamentais programas de pesquisa, inclusive aqueles que visam a cura de doenças complexas e graves, vão comprometer a qualidade do atendimento nos Hospitais Universitários, além de quase impossibilitar as providências necessárias a garantir a limpeza, a manutenção e a segurança dos campi universitários", diz dos trechos do documento.
 
Confira a íntegra:
 
Sobre o bloqueio de 30% dos recursos das instituições federais de Ensino Superior
 
Desde logo após as suas origens, o movimento iniciado por São Francisco de Assis atraiu homens de notável ciência e saber, o que propiciou a presença dos irmãos da Ordem dos Frades Menores no ambiente universitário na qualidade de mestres e professores. Atentos à advertência de São Francisco – de que a ilustração não lhes tornasse soberbos ou lhes fizesse perder o espírito de oração e devoção – os irmãos procuraram manter sua presença neste ambiente de cultivo do conhecimento. Até os dias de hoje os franciscanos continuam a acreditar que o universo da educação e da pesquisa seja plataforma importante para o exercício da Missão Evangelizadora.
 
Diante do exposto, venho, em nome da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, manifestar grande preocupação no que diz respeito à decisão do Governo Federal de promover o bloqueio de 30% nos recursos das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES). É evidente que esta ação vai colocar em risco o trabalho de excelência que estas instituições realizam nas áreas de Ensino, Pesquisa e Extensão. Certamente, os efeitos da decisão vão recair sobre importantes projetos de serviços às comunidades, especialmente as mais carentes, vão inviabilizar a continuidade de fundamentais programas de pesquisa, inclusive aqueles que visam a cura de doenças complexas e graves, vão comprometer a qualidade do atendimento nos Hospitais Universitários, além de quase impossibilitar as providências necessárias a garantir a limpeza, a manutenção e a segurança dos campi universitários.
 
Consciente de que a missão evangelizadora, para além dos vínculos institucionais e/ou religiosos, passa pela promoção da vida, da dignidade e do cuidado pelo ser humano, convoco todos os confrades e leigos ligados às nossas Frentes de Evangelização, à Família Franciscana, assim como todas as pessoas de boa vontade, a pacificamente contestar esta postura que, ao contrário de contribuir para a construção de um país melhor, tende a cada vez mais afastar o Brasil do caminho do desenvolvimento e do progresso. Evangelizar é sinônimo de amar. Amar a Pátria é amar aqueles que nela vivem e promover-lhes a qualidade de vida e o cuidado integral. Pátria amada é aquela que sabe amar.
 
São Paulo, 05 de maio de 2019.
 
Frei César Külkamp, OFM
Ministro Provincial
 
Fonte: Franciscanos
Foto: Edu Lauton / Flickr / UnB