fbpx

Papa diz que muçulmanos deveriam ser considerados parceiros

 
O papa Francisco afirmou na última sexta-feira, 21 de junho, que os muçulmanos deveriam ser considerados "parceiros", com o objetivo de construir uma convivência pacífica para bloquear o avanço de "grupos fanáticos inimigos do diálogo".
 
"Os estudantes de Teologia devem ser educados no diálogo com o judaísmo e o islã para entender as raízes comuns e as diferenças de nossas identidades religiosas e contribuir assim, de maneira mais eficaz, para a construção de uma sociedade que aprecia a diversidade e favorece o respeito, a fraternidade e a coabitação pacífica", declarou o pontífice.
 
Francisco fez a declaração durante um encontro organizado em Nápoles pela Pontifícia Faculdade Teológica da Itália Meridional.
 
"Estamos convocados a dialogar com os muçulmanos para construir o futuro de nossas sociedades e de nossas cidades. Estamos chamados a considerá-los como sócios para construir uma convivência pacífica, inclusive quando ocorrem acontecimento chocantes, obra de grupos fanáticos inimigos do diálogo, como a tragédia (os atentados) de Páscoa no Sri Lanka", prosseguiu o papa.
 
Francisco defende sistematicamente o amor ao próximo e o diálogo entre religiões. "Nas faculdades de Teologia e nas universidades eclesiásticas é preciso estimular as aulas de língua e cultura árabe e judaica, assim como o conhecimento recíproco entre estudantes cristãos, judeus e muçulmanos", concluiu o líder da Igreja católica.
 
Fonte: AFP
Foto: Pixabay