fbpx

Outubro Rosa: a Igreja pode e deve se engajar na campanha

 
A campanha Outubro Rosa nasceu nos Estados Unidos, na década de 90, com o objetivo de ampliar a conscientização da sociedade sobre o Câncer de Mama. Hoje, a doença atinge milhares de mulheres no Brasil e no mundo, e a boa notícia é que quanto mais informação as mulheres obtêm sobre o assunto, melhor o Câncer de Mama pode ser melhor enfrentado. 
 
Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) indicam que um em cada três casos de câncer poderia ser evitado com a redução de fatores de risco. Viu como a informação é fundamental? Ah, vale lembrar que a doença também pode atingir homens, apesar das estatísticas darem conta que apenas 1% dos casos são diagnosticados neles.
 
O INCA disponibiliza material completo para divulgação, incluindo vídeos (opção 1, opção 2, opção 3) e uma cartilha completa com orientações gerais para entender o problema. O material traz a explicação sobre fatores que podem influenciar no desenvolvimento da doença. 
 
Confira abaixo:
 
O que causa o câncer de mama?
 
Não há uma causa única. Diversos fatores estão relacionados ao câncer de mama. O risco de desenvolver a doença aumenta com a idade, sendo maior a partir dos 50 anos. Comportamentais/ambientais Obesidade e sobrepeso após a menopausa. Sedentarismo (não fazer exercícios). Consumo de bebida alcoólica. Exposição frequente a radiações ionizantes (raios X, mamografia e tomografia).
 
Fatores de risco:
 
Comportamentais/ambientais
- Obesidade e sobrepeso após a menopausa.
- Sedentarismo (não fazer exercícios).
- Consumo de bebida alcoólica.
- Exposição frequente a radiações ionizantes (raios X, mamografia e tomografia).
 
História reprodutiva/hormonais
- Primeira menstruação (menarca) antes de 12 anos.
- Não ter tido filhos.
- Primeira gravidez após os 30 anos.
- Não ter amamentado.
- Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos.
- Ter feito uso de contraceptivos orais por tempo prolongado.
- Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.
 
Hereditários/genéticos
História familiar de:
- Câncer de ovário.
- Câncer de mama em homens.
- Câncer de mama em mulheres, principalmente antes dos 50 anos.
 
Como a igreja pode ser envolver?
 
Uma dica é utilizar todo o material que o INCA disponibiliza em debates ou rodas de conversa na sua Igreja local (conforme links acima). Que tal organizar um encontro que reúna, além da membresia, pessoas da comunidade? Talvez possa convidar uma profissional de saúde para palestrar; distribuir materiais informativos é outra dica; incluir o tema nos “avisos” antes ou depois do culto/missa; publicar algo nas redes sociais da igreja; quem sabe um testemunho de uma mulher que vive ou que já superou a doença...? Pode ser bem impactante! 
 
Outra dica bem legal, e singela, é distribuir um laço rosa entre todos os membros da igreja. Se na sua comunidade há pessoas que ficam na porta, recepcionando os membros, elas podem usar o laço durante todo o mês de outubro. Agindo assim, você ajuda a reforçar a identidade visual da campanha e cria um ambiente propício para espalhar conhecimento sobre o tema. O importante é fazer algo (veja aqui os subsídios que a IECLB também preparou).
 
#OutubroRosaNasIgrejas