fbpx

Covid-19: Orientação das igrejas-membro do CONIC

 
Diante de cenários cada vez mais instáveis em função da pandemia de coronavírus (Covid-19) que assola o país, igrejas-membro do CONIC vêm a público orientar cada um e cada uma de seus fiéis para que sigam, à risca, as orientações do Ministério da Saúde. 
 
A Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) orientou a suspensão imediata, e por tempo indeterminado, de todas as atividades comunitárias que envolvem encontro presencial de pessoas, sejam elas de qualquer idade. A orientação se aplica, inclusive, aos lugares que não possuem casos ou relatos de casos do Novo Coronavírus.
 
Ciente dos riscos que o Covid-19 traz, a Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR) foi na mesma linha. Inúmeras arquidioceses e dioceses publicaram notas suspendendo ou cancelando, por tempo indeterminado, as atividades promovidas pela Igreja nos municípios e cidades do Brasil.
 
A Câmara Episcopal da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) incentivou conclamou “a todas as pessoas (membros de nossas comunidades ou não) a seguirem rigorosamente as orientações e os protocolos de prevenção prescritos pelo Ministério e Secretarias da Saúde. Seguir essas orientações será fundamental para conter a disseminação do vírus e salvaguardar a vida de todas as pessoas”.
 
A Aliança de Batistas do Brasil (ABB) se soma a esse esforço, e ainda acrescenta: “Que este seja um tempo de exercício de solidariedades! Assim, não basta fechar as portas nos dias de culto: é preciso pensar estratégias de cuidado para com as pessoas de nossa comunidade não alcançadas pelas políticas públicas.
 
Os presbiterianos do CONIC, ligados à Igreja Presbiteriana Unida (IPU), orientou igrejas e presbitérios que suspendam seus cultos e atividades públicas. “Sugerimos que Presbitérios e Igrejas, dentro de suas possibilidades, organizem mensagens e celebrações por meio das mídias sociais”. 
 
Palavra do presidente do CONIC
 
O presidente do CONIC, pastor Inácio Lemke, pede calma e prudência. Ele também incentiva que as pessoas fiquem em casa.
 
“O momento pede calma e prudência. Precisamos ter responsabilidade com aquilo que falamos. Incentivar que um fiel vá à igreja, sabendo que isso expõe não apenas ele, mas toda a sua família, é extremamente irresponsável, além de representar um risco real para a saúde pública”, opina Lemke.
 
App Coronavírus
 
Visando facilitar o acesso a informações sobre o coronavírus e combater a propagação de notícias falsas, o Ministério da Saúde desenvolveu um aplicativo com dicas de prevenção, descrição de sintomas, formas de transmissão, mapa de unidades de saúde e até uma lista de notícias falsas que foram disseminadas sobre o assunto.
 
Para baixar o app iOS clique aqui.
 
Para baixar o app Android clique aqui.